sexta-feira, agosto 21, 2009

Não sou refém

Dizia hoje Saramago no seu blogue que o homem se encontra escravizado pela sua própria criação: Deus.

No ano passado conheci um jovem muito interessante. O Marcos Sabino. Percebi que era um rapaz inteligente e activo. Interessado no mundo que o rodeia, estava até a estagiar num órgão de comunicação na área da ciência. E talvez por tudo isso achei estranho quando me disse que era religioso. Muito religioso. Acreditava - e acredita - em Deus, frequenta cultos e - foi isto que mais intrigou - acredita que a Bíblia é um relato fiel da história da humanidade. É um criacionista. Convicto.
Fiquei perplexa. Um rapaz informado, inteligente (perdoem-me o preconceito) e criacionista. Comecei a ler o blogue dele. Descobri outros sobre a mesma matéria e fiz da consulta de blogues criacionistas, evolucionistas e ateístas um hábito diário.

Confesso que pouco mudei acerca da minha opinião nesta matéria. Continuo a achar que a Bíblia é uma fábula. Que os princípios do Cristianismo são bons, tais como os de todas as religiões, mas que são uma muleta humana para a tranquilidade. Uma maneira de exorcisarmos o nosso medo da morte, criando uma vida maravilhosa depois do momento em que a alma larga o corpo, sem remorsos nem preocupações...

Quem me conhece sabe que, não sendo religiosa, sou espiritual. Tenho dúvidas e receios. E acredito numa força maior. Apenas não acredito que essa força se reveste de mandamentos e punições... Não é esse o meu princípio de vida.

E por isso me intriga que hoje o Homem seja, de facto, refém da fé que criou...

3 comentários:

douglas da silva santos disse...

adorei suas postagens, principalmente essa, e estou de acordo com sua forma de pensar!

abraços.
douglas da silva santos

Mukkinha disse...

Obrigada :)

Mukkinha disse...

Obrigada :)